Nossa capa, por Ultraviolet

A capa do {ofizine} de setembro de 2017 é uma criação da artista gráfica Jeane Vitória. Ultraviolet, como ela assina seus trabalhos, é adepta da Glitch Art, uma prática artística que trata sobre o fazer as coisas da maneira errada, de rejeitar as regras e maneiras corretas de fazê-las, em nome da experimentação. “Tenho infinitas possibilidades dentro do meu processo de criação”, declara a artista.

A primeira exposição de seu trabalho aconteceu no início do ano, quando foi selecionada para a Mostra de Arte da Juventude do Sesc Ribeirão Preto. Atualmente, suas artes estão em exposição na casa A Egrégora, quinzenalmente, aos domingos, e em mostras digitais, como a Homeostasis Lab.

Para a capa do {ofizine}, Ultraviolet escolheu o trabalho “O Pensador”. “Esta foi uma das minhas primeiras artes envolvendo colagem e glitch. Quis passar a ideia da singularidade e da tranquilidade mesmo num ambiente em ruímas”, explica.

Com um trabalho que tem tudo a ver com o mundo dos fanzines, Ultraviolet tem planos: “Estive pensando em alguma forma de montar um exemplar com algumas colagens. Tenho interesse em publicar, só não sei ainda como!”

E então, fanzineiros, que tal ajudarmos a Ultraviolet a publicar o seu zine? Para conhecer mais do seu trabalho, visite suas páginas no Facebook, no Instagram e no Ello.

Ofizine # 1

FANZINE: Ofizine
EDIÇÃO: 1
MÊS E ANO: Outubro de 1994
EDIÇÃO: Vários
PÁGINAS: 28
FORMATO: Meio ofício
TEMÁTICA: Histórias em quadrinhos, crônicas, música, RPG
RESENHA: O Ofizine é resultado da primeira oficina Faça Zine, coordenada pelos editores do fanzine A Falecida, Angelo Davanço e José Luís Gomes, na Oficina Cultural Cândido Portinari, em Ribeirão Preto/SP, nos meses de setembro e outubro de 1994. Esta edição conta com os trabalhos de sete participantes da oficina, Rodrigo, Gustavo Maniezi, Gustavo de Andrade, Ton, Pecê, Henrique e Gina, com HQs, textos sobre RPG, música, uma entrevista com a banda ribeirão-pretana de funk metal Monroe e crônicas. No texto de apresentação, os produtores anunciam a criação de um “Núcleo de produção de fanzines”, com encontros semanais, aos sábados, na própria Oficina Cândido Portinari. Traz patrocínio do Grêmio Estudantil Machado de Assis, loja Combat Rock, bar Mondo Bizarro, loja Street Rock Shop, Chikus Etiquetas e loja Rarydadys.